Últimas notícias

Suzuki abre temporada com 7º lugar em Goiânia

Com o 4º lugar na tomada de tempos, o piloto do carro #8 teve sua melhor posição de largada na Stock Car. No domingo, enfrentou alguns imprevistos.

A etapa de abertura da Stock Car 2020 teve muitas emoções e belas disputas na pista. A Toyota mostrou sua força logo na sua estreia na categoria, com as duas vitórias da rodada.

Para Rafael Suzuki, o início do campeonato, que marcou também sua estreia pela equipe Full Time Sports, foi muito positivo. Com o 4º lugar na tomada de tempos, o piloto do carro #8 teve sua melhor posição de largada na Stock Car. No domingo, enfrentou alguns imprevistos nas corridas, mas fechou a etapa com um top-10.

Na primeira tomada de tempos da temporada 2020, Rafael Suzuki mostrou um belo cartão de visitas em sua estreia pela equipe Full Time Sports.

Após os dois treinos livres, uma sessão de 30 minutos definiu o grid de largada em Goiânia. Suzuki integrou o segundo grupo que foi à pista, e ficou em 9º na primeira fase. Já no Q2, que compreendeu apenas os 15 melhores, ele conseguiu evoluir e garantiu a 4ª posição entre os 25 pilotos do grid, e foi melhor entre os pilotos da equipe, que colocou seus quatro carros no top-10.

"Estamos no início de trabalho com a equipe, então não imaginava que já seria tão bom assim. Mas mostra que estamos bem entrosados. Todos me receberam muito bem, desde o começo. Estou muito feliz e motivado, independentemente da colocação. Já me sinto em casa e isso é importante, porque temos toda a temporada pela frente."

Na corrida 1, Suzuki partiu da 4ª posição. Porém, ainda na primeira metade da prova, ele foi obrigado a recolher para os boxes, após o capô voar e trincar todo o para-brisa do Corolla #8. A equipe Full Time fez um grande trabalho de recuperação do carro, colocando-o de volta à pista para a corrida 2.

Na 2ª disputa do dia, Suzuki avançou bem no grid, apesar de levar um novo susto, quando um para-choque de outro competidor voou e atingiu novamente seu para-brisas, e comprometendo a visibilidade durante toda a prova. Mesmo assim, o piloto terminou a prova na 7ª colocação, entre os 25 pilotos.

"O domingo não foi exatamente como a gente planejava. Na largada da corrida 1, não me posicionei bem, perdi algumas posições, mas estávamos numa boa posição para as duas corridas, até o capô voar do nada. Não tinha encostado em ninguém, levei um baita susto e quebrou o para-brisa. Tivemos de abandonar e a equipe fez um trabalho fantástico, recuperando o carro. Já na corrida 2, logo que eu larguei, voou um para-choque traseiro no meu para-brisa e estraçalhou. Fiquei com dificuldade para enxergar e procurando as referências. Então, terminar num Top-10 não foi tão ruim, considerando tudo o que aconteceu."