Últimas notícias

Rossi: feliz pelos colegas, mas quer mais para ele

Argentino tem uma corrida boa e outra nem tanto na quarta etapa da temporada, em Londrina (PR).

Agora vamos focar para a etapa de Cascavel. A equipe está num nível muito alto, meus três companheiros já venceram, então sabemos que temos um carro competitivo.

- Matías Rossi

Feliz com os resultados dos companheiros, o argentino Matías Rossi ainda segue sua adaptação à Stock Car. O piloto teve muitas dificuldades com o manhoso traçado de Londrina, onde andou pela primeira vez. Na corrida 1, um problema com o capô, que se soltou, fez o piloto abortar a prova e entrar nos boxes. Na prova seguinte, largando lá de trás, ele conseguiu se recuperar e marcar pontos importantes.

“Tivemos uma corrida boa e a outra ruim, infelizmente. Na primeira prova, o capô se soltou e tivemos de trabalhar muito para estarmos prontos para a segunda disputa”, lembrou o piloto oficial da Toyota Gazoo Racing.

“Nesta segunda corrida, largamos em 24º e chegamos em 12º, o que foi bom diante de tudo o que aconteceu. Fiquei contente, mas é claro que quero mais. Londrina é uma pista muito difícil, mais que Interlagos e Goiânia e não consegui ser tão rápido quanto gostaria”, frisou o argentino.

“Agora vamos focar para a etapa de Cascavel. A equipe está num nível muito alto, meus três companheiros já venceram, então sabemos que temos um carro competitivo. Isso, com certeza, me anima”, completou o piloto, que é um dos destaques do automobilismo argentino, com vários títulos na TC e Super TC 2000.