Últimas notícias

Pódio e liderança para Ricardo Zonta em Interlagos

Piloto paranaense ocupa o topo da tabela com 52, empatado com Barrichello e Ramos, mas levando a melhor no desempate.

A Shell voltou ao pódio da Stock Car na primeira corrida do fim de semana de Interlagos, com Ricardo Zonta ocupando a terceira colocação. Com mais um pódio, o vencedor da primeira prova da temporada, em Goiânia, passou a somar 52 pontos e leva a melhor nos critérios de desempate contra outros dois pilotos. Gaetano di Mauro também completou a prova entre os dez primeiros, em oitavo, e Átila Abreu e Galid Osman terminaram em 12º e 15º lugares, respectivamente.

O sábado começou com uma classificação disputada sob chuva. Ricardo Zonta conseguiu um lugar na segunda fila, em quarto, com Átila Abreu em oitavo, três posições à frente de Gaetano di Mauro. Galid Osman ficou com a 21ª colocação. Na hora da largada, a pista estava menos molhada, mas o começo de prova se deu atrás do safety car.

Depois de duas voltas sob bandeira amarela, o safety car entrou nos boxes, a 34 minutos do fim. Zonta se manteve em quarto nas primeiras voltas sob bandeira verde, com Átila em nono, Gaetano em 11º e Galid em 21º. Logo no começo da prova, já não chovia em Interlagos, e a pista secou aos poucos.

Com 25 minutos de corrida, Gaetano chegou ao top 10, em nono, enquanto Átila caiu para 14º. Mais atrás, Osman continuava no meio do tráfego, em 21º. Aberta a janela obrigatória de pit stop, Zonta permaneceu na pista e subiu para segundo. Logo depois, passou na pista um concorrente e assumiu a liderança.

Na volta dos boxes, com a troca para pneus slicks, Zonta pulou para terceiro. Na dança dos pit stops, Gaetano caiu para 13º, e Átila e Galid ficaram em 19º e 20º, respectivamente. Logo depois, o safety car entrou na pista após um incidente. Faltando dez minutos para o fim, a bandeira verde foi agitada.

Na relargada, Zonta partiu para cima de Júlio Campos, mas houve o contato entre os carros, e o piloto Shell caiu para quarto. Mas, faltando cinco minutos, Ricardo conseguiu subir para terceiro, e Gaetano, que vinha num pelotão de sete carros, passou a ocupar a nona posição.

Nas voltas finais, Zonta consolidou o terceiro lugar, e Gaetano ainda ganhou uma posição para ficar em oitavo. Quem fez ótima recuperação nos últimos minutos foi Átila, que ainda terminou em 12º, três colocações à frente de Galid.

Os carros voltam à pista neste domingo, às 8h15 para a classificação da Corrida do Milhão, e, a exemplo do que aconteceu neste sábado, os pilotos terão de entrar no quali com a gasolina a ser usada na prova. Duas horas depois, será dada a largada da Corrida do Milhão Solidário, com 40 minutos mais uma volta.

 

O que eles disseram:

“O fim de semana estava difícil com os treinos no molhado, e trabalhamos bastante, mas não aparecemos em hora nenhuma entre os cinco, nem entre os dez. Mudamos bastante o carro para as condições de chuva, para a classificação. Conseguimos classificar em quarto, até mesmo foi muito bom largar entre os quatro primeiros, porque você sai da confusão de largada, mesmo com o safety car. Quando começou a secar, eu senti que os meus pneus de chuva ainda estavam bons, ainda conseguia ir para cima e fazer ultrapassagem. Quando coloquei o pneu de seco, a saída do boxes estava muito molhada, todo mundo correu um risco muito grande de deslizar. Mas deu tudo certo, e estou bastante feliz. Mesmo com todas as circunstâncias e confusões que deram na corrida, com pilotos com pneus de chuva no meio dos pilotos com pneu de seco, teve situações em que quase me tiraram da pista. É Stock Car. Stock Car é competitiva, e você tem de estar na hora certa e no lugar certo, e neste ano, estamos. Hoje sou líder do campeonato, com uma vitória e dois pódios, isso é muito bom para nós. Vamos tentar amanhã fazer uma classificação e uma corrida mais agressiva, para saírmos completamente líderes.”

Ricardo Zonta, piloto do carro #10 da equipe Shell RCM

“Estou muito feliz com o resultado, uma pena que perdemos muito tempo nos boxes. Era para estarmos ali no bolo para tentar a quinta colocação. Mas trabalhamos bastante e conseguimos um bom equilíbrio no carro para a corrida. Largamos bem, ganhei várias posições no começo, e, depois do pit, recuperei o que dava. Eu tinha guardado os pushes para a parte seca da corrida, e fiz o que dava. Tiramos o máximo que podíamos da corrida.”

Gaetano di Mauro, piloto do carro #11 da equipe Shell Vogel Motorsports

“Na chuva, logo que começou, com pouca água na tomada, tínhamos ido bem no Q1, porque tinha um pouco mais de água, nosso carro ficou muito traseiro muito rápido. No Q2 já sofremos com isso, caímos a performance. E assim que largou o carro ficou muito traseiro desde o início, e fui ficando muito lento. Eu vi que a pista iria secar, então esperei abrir a janela para trocar o pneu. No pit stop, perdi uns quatro cinco segundos. No seco, o carro tinha um bom comportamento, vim fugindo das confusões, estava em 20º e cheguei em 12º, consegui ganhar algumas posições. Fica uma decepção depois do treino, mas é corrida. Quando você não pode mexer no carro da tomada para a corrida, você fica um pouco vendido, e estávamos torcendo mais para chover do que secar, pelo receio de o carro ficar traseiro. É um aprendizado, conseguimos salvar uns pontos numa situação adversa, numa corrida que tinha tudo para ser até pior. Vamos focar amanhã na Corrida do Milhão, que deve ser uma outra condição de pista.”

Átila Abreu, piloto do carro #51 da equipe Shell V-Power Crown Racing

“A corrida foi bem difícil. Não tinha muita estratégia, era aproveitar o máximo das oportunidades. O que me deixou contente é que, com o pneu de seco, cheguei a fazer a melhor volta, então eu estava superbem. Estou bem confiante para a Corrida do Milhão, se fizer tempo seco, poderemos conseguir largar lá na frente.”

Galid Osman, piloto do carro #28 da equipe Shell V-Power Crown Racing