Visita de ouro e mais um top-10 para a Hot Car em Curitiba

Abbate largou na pole na segunda corrida; já Lapenna tem problemas no carro

Os pilotos Raphael Abbate e Felipe Lapenna contaram com um torcedor especial na etapa de Curitiba da Stock Car. O paratleta Maurício "Dumbo", medalha de ouro com a seleção brasileira de futebol de 5 nas Paralímpiadas do Rio, esteve pela primeira vez numa corrida.

Nascido em Angola, o jogador chegou ao Brasil em 2001, aos 11 anos, integrando um programa de cooperação entre governos, onde 16 jovens deficientes visuais do país africano vieram ao Brasil para receber educação especializada. Maurício foi alfabetizado em braile no Instituto Paranaense de Cegos (PC), em Curitiba, e se naturalizou brasileiro.

"Nunca imaginei estar um dia num autódromo. Gostei demais da experiência. O barulho dos carros é incrível. Fiquei muito feliz com o convite", declarou o campeão, que levou a medalha de ouro ao autódromo e tirou muitas fotos com os fãs.

Na pista, Abbate e Lappena tiveram enredos distintos. Corridas são corridas e tudo pode mudar de um dia para o outro. Na equipe Hot Car Competições (Bardahl) este foi o enredo da disputa da nona etapa da Stock Car, no último dia 16, no autódromo internacional de Curitiba, em Pinhais (PR).

O paulista Felipe Lapenna, que estava feliz com sua décima posição no grid, acabou tendo problemas e não pontuou nas duas provas. Já o companheiro Raphael Abbate que partiu de 26º na corrida principal, chegou em décimo, largou na pole no grid invertido e só não pode voltar a brigar por pontos por ter levado um toque na largada.

O tocantinense Felipe Fraga foi o vencedor da primeira bateria e ampliou ainda mais sua vantagem na liderança da temporada. Thiago Camilo ficou com a vitória na corrida 2.

Abbate comemorou mais um bom resultado seguido, depois do nono lugar na prova passada em Londrina. "Fizemos uma boa largada, conquistamos o segundo top-10 seguido na corrida principal. São ótimos pontos que conquistamos para o campeonato e issome deixou muito feliz, nos dando a pole para a segunda bateria. Infelizmente, eu fui acertado na largada e acabamos saindo da prova. Uma pena, tinha chance de trazer mais pontos para o nosso time. Mas o carro vem se mostrando com uma boa evolução e espero que a gente continue assim para a próxima etapa em Goiânia", declarou o piloto do Stock #26.

Sorte de um lado, do outro nem tanto. Lapenna estava em oitavo na primeira prova, quando precisou recolher para os boxes com um problema na homocinética do carro. A equipe fez os reparos e o piloto partiu dos boxes na prova seguinte. Já estava novamente entre os 10 primeiros, quando teve um pneu furado, saiu da pista e bateu.

"Foi uma pena. Nosso carro está evoluindo a cada etapa. Dessa vez conseguimos largar numa posição boa, então a corrida é diferente. A gente larga com calma, sai ileso... eu estava vindo num ritmo bom, acompanhando o Valdeno (Brito), andando junto, dentro do nosso objetivo de terminar em sétimo ou oitavo e, quando faltava seis voltas, quebrou a homocinética", lamentou o paulista do Stock #110.

"Tinha colocado todas as fichas na primeira corrida, já tinha gastado quase todos os meus pushs (botão de ultrapassagem). E, na segunda, largamos lá atrás e levei um toque que destruiu o carro. Depois, no ‘S’, o pneu furou e eu fui reto e bati. Fico triste por ser a quarta ou quinta vez que estávamos com pódio ou pontos na mão e aconteceu isso, mas o esporte é assim mesmo", finalizou.

A décima etapa da Stock Car acontecerá no dia 6 de novembro, em Goiânia (GO).