Julio Campos

Termina treino em 7º

Sem qualquer chance no campeonato, o paraibano Valdeno Brito (Shell Racing) superou os favoritos e comandou os treinos livres que abriram a programação da 12ª e última etapa da Stock Car. Dos oito protagonistas da decisão deste domingo no Autódromo Internacional de Curitiba-Pinhais, o melhor foi Átila Abreu (Mobil Super), o segundo mais rápido da sessão única de 40 minutos para cada grupo de 17 pilotos. Forte candidata ao título de equipes, e com seus dois pilotos firmes na briga, a Prati-Mico’s Racing colocou Antonio Pizzonia em 7º e Júlio Campos em 13º.

O que vale, no entanto, são as tomadas classificatórias de amanhã, que determinarão a ordem de largada da corrida única de domingo - as demais, à exceção da abertura do calendário, foram realizadas pelo sistema de rodada dupla. Largar o mais na frente possível será imperativo para quem quiser se sagrar campeão, mesmo com a obrigatoriedade - reconfirmada nesta sexta-feira - de troca de um pneu. O histórico de acidentes na chicane ao final da reta dos boxes na primeira volta é um alerta que também não pode ser ignorado e os riscos aumentarão para quem partir no meio do pelotão.

A "Black Friday" foi recebida com tranquilidade nos boxes da Prati-Mico’s Racing. Campos entrou no primeiro grupo e terminou em 7º. No agregado dos dois turnos, caiu seis posições, mas minimizou a classificação final. "Os que treinaram depois pegaram a pista em melhores condições de emborrachamento e temperatura. Acho que meu potencial não foi refletido. Senti que o carro está bom e acredito ter possibilidades reais de entrar no Q2, quem sabe até largando entre os seis primeiros", afirmou o paranaense, 4º colocado na tabela de pontos.

Pizzonia, que vem logo atrás do companheiro na disputa pelo título, fez um relato detalhado ao diretor-técnico "Mico" Lopez no regresso aos boxes. Apesar de fazer uma volta muito boa, na qual melhorou todos os quatro trechos do traçado da região metropolitana de Curitiba, sugeriu uma série de modificações no acerto. "Estamos no caminho certo e essas mudanças são normais de um treino de sexta-feira. E as condições dos pneus também eram diferentes. Alguns pilotos que foram mais rápidos que eu estavam com pneus novos", disse. Com tantas variáveis envolvendo a finalíssima, o ex-piloto da Fórmula 1, dono de duas vitórias na temporada, encostou a calculadora. "O negócio é pensar em fazer a minha parte e deixar as contas para o final."