Stock Car volta a Interlagos e pilotos têm dia de adaptações

Na equipe Hot Car Competições, o pernambucano Beto Monteiro faz sua estreia e Raphael Abbate anda pela primeira vez com um Stock Car na pista paulista

Longe do autódromo José Carlos Pace, em Interlagos (SP), desde março do ano passado, a Stock Car - principal categoria do país - está de volta à pista paulista para a decisão da temporada 2015 neste domingo (13).

Nesta sexta-feira (11), os pilotos foram para a pista para a primeira sessão de treinos livres e foi um dia de bastante novidade, já que o autódromo passou por mudanças de infraestrutura, mas também conta com um novo asfalto e novas zebras.

Na equipe Hot Car Competições (Bardahl), o bicampeão da Fórmula Truck Beto Monteiro fez sua estreia no time de Amadeu Rodrigues e ficou bastante satisfeito com seu retorno à categoria (ele correu a prova de convidados no início do ano). O piloto registrou o 26º tempo do dia. Já o companheiro Raphael Abbate, que estreou este ano na categoria, correu pela primeira vez com um Stock em Interlagos e finalizou em 30º.

O paulista Sérgio Jimenez foi o mais veloz nesta sexta-feira. Entre os pilotos que brigam pelo título, o vice-líder Cacá Bueno foi melhor e terminou em 16º. O líder Marcos Gomes ficou em 31º. Neste sábado (12), os pilotos terão mais um treino livre e a definição do grid, a partir das 12 horas (ao vivo no SporTV). No domingo, a prova terá transmissão ao vivo pela TV Globo e SporTV, às 10 horas.

"Voltar à Stock Car é sensacional. Guiar este carro é muito bom, mas mais do que voltar à Stock, pra mim, foi muito proveitoso o entrosamento com a equipe. Com as sensações que eu tive e passei pra equipe, nós conseguimos melhorar o carro. Então, eu fiquei muito feliz com isso. Se não conseguirmos chegar a 100% nessa etapa, pelo menos, estamos trabalhando numa linha de evolução. Isso foi o que mais valeu nessa ‘reestreia’", declarou Monteiro, campeão na F-Truck em 2004 e 2013.

O piloto pernambucano comentou sobre as mudanças na pista, mas para ele a maior novidade foi a chicane, que não é usada na Truck. "Pra mim, a grande dificuldade é a chicane. A pista inteira, realmente, teve mudanças, mas pra mim a novidade da chicane me deixou mais cauteloso neste trecho, para não correr o risco de danificar o carro e atrapalhar a nossa evolução", explicou o piloto de 38 anos, que está motivado.

"A expectativa é muito boa para amanhã. Se continuarmos neste caminho, vamos conseguir terminar mais à frente e largar bem", completou Monteiro, que está guiando o Stock #69.

O paulista Abbate também deixou a pista satisfeito com a evolução do Stock #26, mas lamentou não ter pneus novos para os treinos. "Infelizmente, ficamos quase dois anos sem correr em Interlagos e a pista mudou bastante com o novo asfalto e a mudança das zebras e eu também nunca tinha andado de Stock Car aqui. Então foi tudo uma novidade pra mim. O treino foi bom, viemos evoluindo bem, mas é uma pena estarmos um pouco limitados com o jogo de pneus. Como é a última etapa, não temos pneus ‘zero’ pra treinar, mas acho que estamos evoluindo bem. Vou procurar fazer um bom treino amanhã e classificar entre os 20 primeiros", finalizou o piloto de 24 anos, que já está com o contrato renovado e continuará no time de Amadeu Rodrigues em 2016.

Tags: