Sonhando com o título

Prati Mico's Racing foi a que mais cresceu em 2014

Dois meses depois do encerramento do campeonato de 2014, a Stock Car retoma as atividades com a única sessão de treinos coletivos de pré-temporada sábado e domingo no Autódromo Internacional de Curitiba-Pinhais. Com poucas mudanças significativas na formação das principais forças da principal categoria do automobilismo nacional, as equipes terão dois dias para trabalhar no desenvolvimento dos carros com vistas à abertura do calendário, marcada para 22 de março em Goiânia, que recepcionará a única etapa em duplas - cada piloto receberá um convidado.

A Prati-Mico’s Racing manteve o paranaense Júlio Campos e o amazonense Antonio Pizzonia. Terceira colocada no ano passado, após um modesto 11º em 2013, a organização comandada pelo diretor-técnico Juan Carlos "Mico" Lopez foi a que apresentou o maior crescimento entre as equipes. Animada com o salto à frente, o uruguaio não esconde o otimismo às vésperas do reinício das atividades de pista. "Foi nossa melhor preparação destes anos. Os mecânicos estão mais empolgados e dedicados do que nunca. Os carros estão uma joia", assegura. "Mico" respeita a qualidade dos rivais, mas deixa claro que a meta agora é ainda mais ambiciosa. "Queremos brigar pelos títulos de equipe e piloto. Temos todas as condições para isso."

De fato, Campos e Pizzonia estiveram sempre entre os personagens da Stock Car em 2014 e chegaram à última etapa, no mesmo circuito paranaense, com chances de uma conquista inédita para ambos. Campos marcou duas poles e ganhou pela primeira vez na categoria em Tarumã, domingo histórico para a Prati-Mico’s por alcançar a única dobradinha desde que o sistema de rodadas duplas entrou em vigor - Pizzonia ganhou a prova de fundo, sua segunda na Stock Car, repetindo o feito de Santa Cruz do Sul.

No início da semana, Campos foi ao circuito de Londrina "desenferrujar", treinando com um carro da antiga série Montana. "Já estamos consolidados como uma das grandes equipes. Agora, temos de continuar crescendo e pontuando bem em todas as etapas, como aconteceu já no ano passado. Estamos mais bem-preparados, ao iniciar o terceiro ano com o apoio da Prati-Donaduzzi, e não tenho dúvidas de que vamos com tudo rumo aos dois títulos. Nossa segunda metade de campeonato em 2014 foi muito boa. O Pizzonia evoluiu bastante nas tomadas de tempo e ficou mais fácil trabalharmos juntos", explicou.

Pizzonia retornou à Stock Car na última temporada, depois de mais de um ano de ausência. Depois da readaptação, transformou-se num dos destaques. "A ideia é dar continuidade ao que fizemos até agora e chegar ao fim na briga pelos campeonatos. Enfrentei alguns problemas no começo de 2014, principalmente por causa de uma queimadura no pé, depois fiz uma segunda fase bem mais sólida", lembrou. O ex-piloto da Fórmula 1 também aponta outro fator para sua confiança numa campanha ainda superior desta vez. "Fiz uma preparação física intensa e me sinto muito bem para o que vem pela frente."