Últimas notícias

Shell festeja temporada 40 com layout retrô

Equipe corre no Velopark com a mesma logo de 1979, ano do início da categoria mais importante do país.

O fim de semana será de comemoração para a Shell V-Power. Na rodada dupla no Velopark, domingo, a equipe vai competir com um visual retrô em seus carros, lembrando o dia 22 de abril de 1979, data da primeira corrida da história da Stock Car.

De acordo com o Guia Shell da Stock Car, a prova contou com 10 carros modelo Opala Coupê, teve 32 voltas e distância total de 95,5 km. O vencedor foi Affonso Giaffone, com João Carlos Palhares em segundo e Raul Boesel em terceiro.

Na rodada dupla que será realizada em Nova Santa Rita, os carros de Átila Abreu e Ricardo Zonta carregarão o logo da Shell utilizado em 1979.

E, se o clima será de nostalgia, Átila tem ótimas lembranças do Velopark.

O piloto do carro #51 conquistou uma das suas vitórias mais memoráveis na Stock justamente no circuito gaúcho. Em 2011, debaixo de chuva, o sorocabano conseguiu a liderança no fim com uma manobra ousada e venceu.

Já Ricardo Zonta espera no Velopark manter a consistência apresentada neste começo de temporada e não só se manter entre os dez primeiros no campeonato, como se aproximar dos líderes. O curitibano também tem grande retrospecto no circuito, com seis chegadas entre os oito melhores.

Ambos apostam as fichas num bom treino classificatório, já que o Velopark tem o traçado mais curto de todo o campeonato, com 2.278 metros, e as ultrapassagens são difíceis. Portanto, uma posição de largada entre os primeiros é fundamental.

A programação terá dois treinos livres na sexta-feira e uma terceira prática no sábado pela manhã. Também no sábado, às 13h, será disputado o treino classificatório da corrida 1, com transmissão do SporTV2. Domingo, às 12h20 será realizada a rodada dupla, também com o SporTV2 exibindo ao vivo.

 

O que eles disseram:

"A Stock Carlos nesses 40 anos se consolidou como a maior categoria do país. Quando voltei da Europa eu e vários pilotos na mesma época tínhamos essa visão da profissionalização. É muito legal competir em alto nível no seu país, coisa que há algum tempo só acontecia na Europa. Vai ser muito legal correr com a logo de 1979 no capô do meu carro. Está de parabéns a Stock Car por chegar à sua quadragésima temporada no nível de excelência que o evento mostra neste ano, com um número recorde de pilotos com passagem pela F1 no grid. A ação também nos lembra da responsabilidade e do privilégio que é competir com a concha da Shell no carro. São raros os patrocinadores que já estavam envolvidos no nosso esporte há 40 anos e, mundialmente no caso da Shell, o vínculo com o automobilismo é ainda mais antigo, remontando à época em que o comendador Enzo Ferrari ainda nem havia estabelecido sua Scuderia"

Ricardo Zonta, piloto do carro #10

 

"É muito bacana fazer parte da história da Stock Car, uma categoria que começou lá atrás com nomes como Ingo Hoffmann, Paulo Gomes e tantas outras lendas do automobilismo. É uma categoria que construiu seus 40 anos de história aos poucos, graças ao suor de tantos pilotos, mecânicos e engenheiros que nunca deixaram o nome perder força. Quando entrei na categoria, no fim da primeira década dos anos 2000, a Stock vivia seu auge em termos de público, com cada vez mais competidores interessados: ela saía daquela ideia mais antiga, que era para pilotos mais em fim de carreira. Hoje em dia tem muitos pilotos que sonham em fazer a carreira toda na Stock Car e ela vive um momento totalmente diferente em sua história. Acho que é o melhor momento no quesito nível dos pilotos, com vários ex-F1, e vários vivendo do esporte. Ter 40 anos de história não é para qualquer evento esportivo, e principalmente considerando os altos custos do esporte a motor e as turbulências econômicas que o País atravessou nesse tempo. E a Stock Car continua firme e forte, cada vez melhor, cada vez mais competitiva. É sem dúvida a categoria mais forte em todas as que eu andei e também aquela onde eu mais me diverti com grandes disputas. Comemorar as 40 temporadas no Rio Grande do Sul onde tudo começou é muito bacana: o povo gaúcho sempre viveu muito intensamente as corridas e fico satisfeito em correr no Estado, que não por acaso é o Estado com mais autódromos no Brasil. Então fico especialmente contente em celebrar com o público gaúcho e de alguma forma retribuir o carinho deles."

Átila Abreu, piloto do carro #51

 

"Existem diversas famílias que hoje vivem da Stock Car, desde mecânicos, pilotos, sem contar a cadeia indireta que acompanha a categoria, como movimentação de hoteis, suprimentos para carros etc. A Stock Car possibilitou que todas essas pessoas vivessem do automobilismo e tivessem uma carreira profissional dentro do esporte a motor brasileiro, o que era muito difícil antigamente. Expandiu um horizonte para pilotos, o que antigamente era muito limitado. Ou o piloto tentava correr numa categoria de fórmula fora do Brasil, ou, se ficava pelo caminho, procurava outra coisa para trabalhar. Hoje a maioria dos pilotos da Stock Car são profissionais contratados e pagos, e vivem da atividade que exercem dos carros. E o mesmo vale para uma série de engenheiros e mecânicos. Ficamos felizes de fazer parte disso há alguns anos e vislumbro seguir na Stock Car pelo resto da vida. É uma categoria fundamental para o automobilismo brasileiro e essa data tem de ser comemorada mesmo."

Thiago Meneghel, chefe da Shell V-Power

 

 

Assessoria de Imprensa da equipe Shell V-Power
Jornalista responsável: Luis Ferrari
press@luisferrari.com.br
11 98666.8307