Ricardo Maurício, o caça-talentos

Foi o pole position de hoje que revelou Nestor Girolami em 2015 para a Stock Car. Agora, ele mostra o talento de Guilherme Salas

O experiente bicampeão da Stock Car, Ricardo Maurício, apostou na juventude e competência do piloto Guilherme Salas na condução do seu carro para a corrida em duplas, que acontece neste domingo em Curitiba. A decisão foi acertada e juntos conquistaram a pole position da corrida de amanhã, a última da categoria no autódromo da capital paranaense. "Colocamos nosso nome como os últimos poles dessa pista. Quem sabe amanhã, completamos essa história. Estou muito feliz por ter escolhido o Salas e muito agradecido pelo trabalho que ele tem feito desde que começamos os treinos", diz Ricardo Maurício.

Para Salas, o convite pode significar uma mudança na carreira para os próximos anos. Jovem e veloz, destacou-se no Brasileiro de Marcas no ano passado ao conquistar o terceiro lugar e busca uma vaga na principal categoria do automobilismo nacional. "Agradeço ao Ricardo e toda a equipe pela confiança que depositaram em mim e pela oportunidade de poder pilotar numa das maiores equipes da Stock Car. Penso que esse é o início de uma nova fase na minha carreira", diz ele.

Em 2015, Ricardo Maurício foi o vencedor da prova em duplas ao lado de Bebu Girolami, hoje adversário direto na categoria. Esse ano, ele larga na frente com o novo companheiro de cockpit. Além da habilidade nas pistas, ele mostra que também é certeiro em revelar novos talentos. "Estamos o tempo todo olhando o que acontece à nossa volta, quem são os nomes que vêm se destacando no automobilismo, faz parte do nosso dia a dia acompanhar tudo isso", comenta. E destaca: "O Salas é jovem, mas tem um talento nato. Eu sou das antigas e tenho aprendido muita coisa com ele nesses dias em que estamos trabalhando juntos".

Uma das diferenças que vêm sendo compartilhadas desde quarta-feira, quando a equipe se reuniu para o início dos trabalhos, é o estilo de frenagem. Ricardo Maurício usa o pé direito, enquanto Salas usa o esquerdo. "A forma como você freia muda o comportamento do carro. Como eu faço provoca um balanço por causa da transferência do pé. Quem sabe com o tempo eu também mude", conta.

Além da primeira conquista com a dupla Ricardo/Salas, uma curiosidade vinda da equipe Eurofarma-RC tomou conta dos bastidores, o tempo da dupla Max Wilson e Vitor Meira. Para a formação do grid de largada, os resultados foram compostos a partir da média dos melhores tempos de cada piloto. Max Wilson e Vitor Meira fizeram o mesmo tempo, inclusive nos milésimos: 1m19s288. "É para facilitar a conta", brincou Max. A coincidência foi impressionante, considerando, principalmente, que quando Meira assumiu o bólido, a pista estava mais quente e os pneus mais usados. "Isso é sintonia total", respondeu Meira. Essa é segunda vez que Max e Meira disputam juntos a prova de duplas. "Ter um piloto e um amigo como Vitor Meira como companheiro já é um grande presente", diz Max que larga na segunda fila, em quarto lugar.