Ribeirão Preto receberá primeira rodada dupla da temporada

RZ Motorsport conta com a experiência do pole position de 2011 de Luciano Burti e verá a estreia de Rafael Suzuki nas ruas do interior de São Paulo

A Stock Car retorna neste fim de semana a Ribeirão Preto. A disputa no interior de São Paulo aconteceu de forma consecutiva entre os anos de 2010 e 2013. No último ano de sua realização, porém, a prova de rua mudou de local, sofrendo também uma alteração de traçado.

Depois da corrida de duplas, que abriu a temporada 2015, em Goiânia, o sistema de rodadas duplas volta a ser implantado com a corrida 1 de 48 minutos mais uma volta e a corrida 2 com 28 minutos mais uma volta.

Apesar do aumento de 16 minutos, em relação às provas do ano passado, a segunda etapa não terá pitstop obrigatório, sendo que o abastecimento e a troca de pneus serão feitos no grid da corrida 2.

O ex-F1 Luciano Burti, destaca algumas peculiaridades de uma corrida de rua e enfatiza que o circuito montado em Ribeirão tem um nível muito bom.

"Gosto muito de pista de rua e tenho andado bem nesse tipo de pista, inclusive em Ribeirão Preto eu fiz a pole position naquele primeiro traçado, em 2011. Fico feliz porque a cidade mesmo tendo que mudar o lugar do circuito conseguiu fazer também neste novo traçado com um nível muito bom. É uma pista um pouco mais apertada, onde você tem características de pista de rua de estar sempre passando perto dos meios fios, muros e guard rails, então é bem apertado", destacou.

Burti aponta algumas diferenças entre os circuitos tradicionais e os de rua: "Comparando com um circuito normal a grande diferença de uma pista de rua é a falta de espaço, onde você tem que achar o limite do carro de explorar ao máximo em um espaço disponível e para mim o segredo é basicamente não olhar qual é este espaço. Não fazer cálculo de quanto falta para bater no muro. Se está passando muito perto. Se está passando muito longe não importa é tentar não olhar o muro, não olhar o guard rail. Esquecer dá falta de espaço e tentar pilotar o carro como se fosse na pista comum, que tivesse área de escape. Você finge que tem área de escape, mas não tem. É uma maneira de você não se pressionar de poxa não posso cometer um erro. Não posso buscar o limite do carro porque se você fizer isso, realmente, o tempo não vem e esse é o desafio. Um desafio grande para todo mundo e espero que o tempo esteja bom por lá".

Além disso, destaca que os freios serão peça fundamental para o sucesso da corrida. "É uma pista que vai ser muito difícil para os freios, pois tendem a superaquecer neste estilo de pista como o de Ribeirão. Esse será um desafio bem grande para as equipes e para os pilotos porque depende dos dois. Os carros precisarão ter uma boa refrigeração, depende do piloto saber dosar o freio caso comece superaquecer o sistema, então vai ser bem complicado".

Seu companheiro Rafael Suzuki, que faz sua segunda temporada, na categoria mais badalada do Brasil, nunca andou em Ribeirão Preto, mas tem experiência em pistas de rua, pois em 2010 disputou a Formula 3, em Macau, na China, que é um dos circuitos de rua mais desafiadoras e tradicionais do mundo e também em Salvador na Stock ano passado.

"Essa é a única pista do calendário que ainda não conheço, sei que tem características bem particulares, como as curvas travadas, poucas retas e sem margem para erros, mas gosto de circuitos de rua. Precisamos melhorar muito em relação ao nosso desempenho em Goiânia, mas vamos trabalhar duro para sair de Ribeirão com bons pontos para o campeonato", salientou Suzuki.

Os carros da Stock Car começam a acelerar na pista de rua de Ribeirão Preto na sexta-feira. O primeiro dia será apenas um aperitivo: 15 minutos para um "shake down". Os treinos começam para valer no sábado, com dois ensaios. O primeiro logo às 8h e o segundo às 11h. Em seguia, 14h, acontece a tomada classificatória. A rodada dupla de domingo tem largada prevista para as 11h. A segunda prova será às 12h30. Tudo será transmitido ao vivo pelo Sportv.