Popó tem início positivo

Correndo em dupla com Beto Gresse, Bueno tinha um bom ritmo em Curitiba até um incidente jogá-lo para 17º

A temporada 2016 da Stock Car, principal categoria do automobilismo nacional, já está oficialmente iniciada. Na Corrida de Duplas, que abriu a temporada no último dia 6 e teve como vencedores o atual campeão Marcos Gomes e seu convidado Antonio Pizzonia, os pilotos da equipe Cavaleiro Sports poderiam ter conquistado resultados ainda melhores, mas enfrentaram alguns problemas que impediram as duplas de chegarem mais à frente.

No Stock #74, Popó Bueno e Beto Gresse largaram de 25º e se mantiveram entre os 15 primeiros até os dez minutos finais, quando Gresse se envolveu em um incidente, rodou e acabou perdendo posições. A dupla finalizou em 17º lugar.

No outro carro do time, Beto Cavaleiro e Sérgio Jimenez tiveram alguns problemas, levaram um toque e acabaram não completando a corrida.

Mesmo assim, o chefe do time avaliou a corrida inaugural de forma positiva. "A gente ficou satisfeito com tudo que a equipe apresentou. Foram dez ou 11 componentes que se integraram ao time este ano e deu tudo certo. O carro não quebrou, não tivemos grandes problemas, não tivemos nenhuma tensão dentro do box e ainda economizamos pneus para a próxima etapa", analisou Beto Cavaleiro.

"Fazíamos uma corrida para chegar no Top-10 com o carro #74. Mas, no finalzinho, o Betinho acabou se envolvendo em um incidente e não deu para terminar mais na frente. No meu caso, eu entreguei o carro para o Jimenez e estava sonhando com um safety car e veio. Só que o acerto do nosso carro não deu certo mesmo. De qualquer forma, foi um aprendizado ótimo, saímos com pouco trabalho para a próxima corrida. Ninguém bateu, não quebrou. Agora é uma revisão final e recomeçar o trabalho no Velopark", disse o chefe da equipe, que voltou a pilotar um Stock Car nesta prova, mas já estará totalmente focado no comando do time na segunda etapa, no mês que vem, na pista gaúcha.

Bueno, que este ano faz sua segunda temporada na equipe, lamentou o problema no final, mas também fez uma avaliação positiva. "O problema maior foi o que a gente já sabia. Sacrificamos um pouco a classificação para salvar pneu, então o resultado foi realmente ruim. Na corrida, eu consegui ganhar algumas posições na largada e me mantive ali. Eu já sabia que seria uma corrida que teria muitos acidentes, até por ter muitos pilotos convidados, muitas quebras por ser a primeira etapa e algumas equipes não estarem em estruturas muito boas. Eu sabia que se a gente ficasse na pista, iria conseguir chegar em uma boa posição. Acho que era o que a gente merecia", comentou o carioca.

"Infelizmente com o incidente do Betinho perdemos a chance de ter chegado entre os dez. Mas o importante é que a gente conseguiu uma ‘linha’ de carro para o Velopark e vamos começar praticamente do zero. Vamos trabalhar e acho que a gente tem um futuro legal", acredita Bueno.

Apesar de feliz com o retorno à categoria, Gresse lamentou o incidente. "Só não fico tão satisfeito por não ter conseguido terminar na posição que eu estava. Acredito que daria para ter terminado entre os dez primeiros. O Popó fez um ótimo trabalho, largou super bem, ganhou posições. Largamos em 25º e a gente sabe o quanto é difícil largar lá de trás nessa categoria. Ele me entregou em 17º ou 16º e perdemos duas posições no pit. Mas eu já estava em 14º e o carro se comportava bem ali no pelotão. Aí teve um engavetamento na curva da vitória, todos os carros acabaram parando demais. Para não bater no carro da frente, eu acabei bloqueando a traseira e desequilibrou um pouco o carro. Também acho que tomei um toque na traseira e acabei rodando. Aí me tirou completamente as chances, tinha nove voltas de corrida, ainda tinha push para usar. Não dá para saber o que ia acontecer, mas a gente estava bem. Só não fico mais contente por esse fato, mas acho que foi positivo de qualquer maneira", afirmou o paulista, que correu na categoria em 2009 e 2010.

Completando o "quarteto" da Cavaleiro no final de semana, Jimenez não teve o resultado esperado em sua estreia na nova equipe, mas mantém a motivação para o restante do campeonato.

"O importante é que não tivemos nenhum problema mecânico, hidráulico, eletrônico... nada. O carro funcionou da primeira saída até a última sem nenhum problema. Isso foi muito positivo. No resto, a gente ficou muito a mercê dos pneus, que parece desculpa, mas realmente foi o nosso ‘calcanhar de Aquiles’ nesse final de semana. Então serviu para ver se tudo funcionava mesmo. Agora é ter paciência, ajeitar, tem um mês para o pessoal trabalhar na oficina, deixar tudo em ordem para começar mais competitivo no Velopark", finalizou o piloto de Piedade, no interior de São Paulo.

Tags: