Pneus e suspensão exigirão atenção especial

Os pilotos Raphael Abbate e Fábio Fogaça, da equipe Hot Car, estão animados para a disputa no oeste paranaense, mas encontrar o acerto ideal para minimizar as exigências do traçado é um dos desafios das equipes

Após a disputa da Corrida do Milhão, pilotos e equipes da Stock Car voltam a acelerar neste domingo (dia 30) no autódromo Zilmar Beux, em Cascavel, no Paraná. Com provas a cada 15 dias no calendário, os times têm se superado nos preparativos para essa maratona final da temporada, que chega a sua oitava etapa.

Na equipe Hot Car Competições, os pilotos Fábio Fogaça e Raphael Abbate estão animados para correr no veloz traçado de 3.058 metros. Mas destacam a importância dos cuidados com os pneus e a suspensão, principalmente em alguns trechos do circuito, que possui "bumps" e zebras "recortadas". Outro ponto é que nesta pista os pilotos e equipes tendem a buscar um acerto mais conservador, para suportar a força G das curvas de alta, em especial o Bacião.

Os treinos em Cascavel começam na sexta (28) e seguem no sábado (29), também com a realização do classificatório. No domingo, a etapa volta a ser em rodada dupla, com uma prova às 13h10 e outra às 14h25. O SporTV transmite ao vivo.

Vice-campeão do Brasileiro de Turismo em 2014, o estreante Abbate afirma que mesmo com tantos desafios gosta bastante do traçado de Cascavel e ressalta sobre a questão dos pneus.

"No ano passado, no Brasileiro de Turismo, eu fiz a pole position em Cascavel, então tenho uma boa lembrança desta pista, apesar de ter sofrido com um problema de direção hidráulica e não ter conseguido o resultado esperado na corrida", lembrou o paulista do Stock Chevrolet #26.

"É uma pista que eu gosto bastante, de alta e que tem uma dificuldade que são os ‘bumps’. É preciso fazer um set up próprio para isso, para evitar que o carro saia muito rápido, perca o controle rápido, então temos de fazer um carro mais ‘macio’ para contornar bem os ‘bumps’. A curva zero também é muito difícil, a saída dela tem uma zebra bastante recortada e que pode causar furos nos pneus. Então, tem que tomar bastante cuidado com os pneus nesta corrida de Cascavel, vai ser um fator bastante importante", enfatizou Abbate de 23 anos.

Fogaça, que tem a mesma idade que o companheiro, também espera um bom resultado no circuito e voltar a largar entre os Top 15. "Cascavel é uma pista de alta e que pode ser boa para o meu estilo de pilotagem. Vamos procurar acertar o carro melhor, voltar a largar entre os 15 primeiros e brigarmos por bons pontos nesta etapa", comentou o piloto do Stock #72

Amadeu Rodrigues, chefe da equipe, também ressalta a importância de um bom classificatório e está animado. "Cascavel é uma pista abrasiva, ‘agressiva’ para o carro, com ‘bumps’ e a curva do Bacião, que é muito rápida. Tudo isso exige um esforço a mais dos pneus e da suspensão. Temos de trabalhar para acertar o carro de forma que ele consiga minimizar essa carga, para se manter constante na corrida. Já na classificação, precisamos ser mais agressivos, para largar mais à frente. Nas corridas, sempre temos um ritmo muito bom, mas no classificatório os trechos não têm encaixado e largando no pelotão intermediário, com as diferenças entre os carros tão pequenas, fica difícil vir mais pra frente", avaliou o comandante do time.