Parabéns, Stock Car!

Principal categoria do automobilismo nacional completa 35 anos

O Circuito Schin Stock Car está em festa. Neste mesmo dia (22/4), há 35 anos, nascia aquela que se tornaria a principal categoria do automobilismo brasileiro. A primeira prova foi disputada no autódromo de Tarumã, no Rio Grande do Sul.

O grid da corrida do dia 22 de abril de 1979 tinha apenas dez carros, dos quais quatro completaram as 32 voltas. O primeiro vencedor foi Affonso Giaffone, com um Opala 250-S. Ele ganhou as duas baterias, mas a emoção da corrida ficou por conta das disputas entre o gaúcho Júlio Tedesco, o paranaense Raul Boesel e o goiano Alencar Jr. Mas Paulo Gomes foi o campeão daquela temporada.

Os primeiros carros eram os Chevrolet Opala Cupê 1979, com motores de seis cilindros de 4.100cm³. “Nossos carros, naquela época, eram bem mais rústicos. Não tinham freio a disco na traseira e os amortecedores, depois de algumas voltas, acabavam. O carro vinha pulando e chacoalhando de um lado para outro. O piloto tinha que, com o pé esquerdo, bombear o pedal do freio para levantar o pedal. Aí o carro escorregava de um lado para o outro. Era uma pilotagem bem mais prazerosa, em função da qualidade inferior daquela época. O piloto tinha que compensar no talento”, recorda Ingo Hoffmann, doze vezes campeão da categoria, que entrou para a Stock a partir da segunda prova da história e correu ininterruptamente até 2008.

Outro nome que fez história na categoria foi Chico Serra. Ele teve duas fases na categoria: de 1986 a 1991 e de 1996 até 2009. Neste período, viveu seu melhor momento e sagrou-se tricampeão (1999, 2000 e 2001). Mas ele confirma que no início as dificuldades eram maiores. “Eu tinha acabado de voltar da Fórmula 1. Tudo era novo. A Stock sempre foi a categoria top de automobilismo no Brasil, mas naquela época a diferença entre os equipamentos dos carros era muito maior que hoje, em que tudo é mais equilibrado. Na época, cada um preparava o seu motor, usava um tipo de amortecedor, mola, era tudo liberado”, recorda Chico Serra.