Pane seca tira de Thiago Camilo a liderança

Piloto da Ipiranga Mattheis tentou administrar 2º lugar, mas um problema no volante o impediu de ler o consumo de combustível

Daniel Serra foi o mais veloz durante todo o fim de semana, fez a pole position, liderou o tempo todo com boa margem de segurança e venceu a Corrida do Milhão. Dentro desse quadro, o máximo que Thiago Camilo – três vezes vencedor do Milhão, e que chegou ao Paraná como líder da temporada 2017 – poderia pretender era o segundo lugar. E foi lá que Camilo largou, e onde se manteve até a 29ª de 31 voltas. Aí veio a pane seca e Camilo parou. Depois dele, outros pilotos de ponta como Ricardo Mauricio, Felipe Fraga, Allam Khodair, Átila Abreu, Ricardo Zonta e o companheiro de Ipiranga RCM Galid Osman estacionaram nas áreas de escape com falta de combustível.

“Desde a largada ficou claro para mim que eu só venceria se o Serrinha errasse ou tivesse um problema. Eu estava administrando o segundo lugar que me manteria na ponta do campeonato, e veio essa falta de combustível no fim. Eu tive um problema no volante que me impedia de ler o consumo de combustível e passar as informações para a equipe, mas muitos outros sofreram pane seca no fim, e as equipes ainda estão investigando o que houve. A frustração numa hora dessas é enorme, porém a vontade de ser campeão é maior, esse é o objetivo de toda a equipe. Vamos sair daqui de cabeça erguida e continuar trabalhando para reassumir a liderança. O próximo passo é em Curvelo, daqui a três semanas”, disse o piloto do Chevrolet número 21, que foi um dos seis pilotos escolhidos por votação popular via Facebook para ganhar um tiro a mais do botão de ultrapassagem na Corrida do Milão.

Galid Osman teve um fim de Corrida do Milhão muito parecido com o do companheiro, embora o fim de semana tenha sido bem diferente. “Meu carro estava muito ruim no primeiro treino livre, sexta, melhorou um pouco no sábado, e na corrida estava bom. Larguei em 22º e ganhei várias posições antes do pit stop, quando um problema na troca do meu pneu dianteiro me fez perder mais de dez segundos. Ainda assim eu marcaria pontos se não ficasse sem combustível”, disse o do Chevrolet número 28.