Mestre Carlão

O ex-piloto e agora chefe de equipe na Stock Car comanda muito mais do que um grupo de mecânicos, engenheiros e dois pilotos: ele coordena 300 pessoas na bateria da escola de samba Tom Maior

A sexta-feira é 13, mas desta vez ninguém se importa, porque no final de semana começa o Carnaval, a festa mais aguardada por foliões de todo o país. No Circuito Schin Stock Car, é a última chance para pilotos, mecânicos e engenheiros tirarem alguns bons dias de descanso antes do início da maratona que será a temporada 2015, já que no dia 22 de março a temporada se inicia com a corrida de duplas em Goiânia.

Mas para um membro da categoria o Carnaval funciona de maneira bem diferente – e muito mais intensa. O Mestre Carlão, chefe da bateria da escola de samba Tom Maior, do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo, trabalha dobrado neste período – e é também diretor da escola, que conta cerca de três mil membros.

Mestre Carlão é ninguém menos que Carlos Alves, ex-piloto da Stock e chefe da equipe Schin Racing Team, dos pilotos Felipe Lapenna e Rafael Matos. Mestre na quadra e nas pistas. Seu envolvimento com o carnaval é quase tão antigo quanto sua paixão pelo automobilismo.

Criado nas vizinhanças de uma escola de samba na Vila Prudente, Carlão começou a tocar cedo e desde 1990 é integrante da Tom Maior, do bairro de Sumaré, na capital paulista; poucos anos depois, assumiu como mestre de bateria. Hoje em dia, ele acumula a função de diretor da escola, que tem cerca de três mil membros.

Na avenida, ele fica à frente de 300 ritmistas da bateria, e no Carnaval deste ano, o samba-enredo da Tom Maior caiu literalmente como uma luva para o Mestre Carlão: “Adrenalina”, coisa de que ele entende muito bem.