Júlio Campos busca vitória que não ocorre há 11 anos

Desde 2003 um piloto paranaense não ganha no circuito de Cascavel. Na "casa" da Prati-Donaduzzi, otimismo é grande

O piloto Júlio Campos busca, em Cascavel, uma vitória que não ocorre há 11 anos. Desde 2003 um paranaense não vence na cidade do oeste do Paraná, competindo pelo Circuito Schin Stock Car. O mais recente foi David Muffato.

Sempre rápido nos treinos classificatórios, e com pódios em Brasília e Goiânia, Júlio Campos, que é curitibano, só não conta com uma posição ainda mais privilegiada na classificação por causa de uma pane no novo sistema de câmbio na prova inaugural (Interlagos). Desde então, vem pontuando com regularidade e se aproximando cada vez mais do topo da tabela. Hoje, ocupa o 3º lugar na classificação, com 71 pontos. Átila Abreu lidera com 76 pontos e Thiago Camilo soma 72.

Uma das razões da boa campanha de Campos é a evolução da equipe Prati-Mico’s Racing, que já venceu uma prova na temporada. Em Santa Cruz do Sul-RS, Antonio Pizzonia obteve o triunfo inédito para o time. Agora, a partir de Goiânia, a Prati tornou-se líder do campeonato de equipes, com 128 pontos.

Outra motivação para a equipe é que o patrocinador - a farmacêutica Prati-Donaduzzi - está sediado em Toledo, cidade vizinha de Cascavel. "Tenho certeza que iremos bem nesta pista, porque nosso carro tem um acerto que privilegia mais as curvas do que as retas longas, como foi o caso da recente corrida em Goiânia. As retas de Cascavel são menores e vai casar bem com nosso carro”, confia Júlio Campos.