Feito de Campos e Pizzonia é igualado

Prati-Donaduzzi era a única equipe a ter vencido duas provas de uma mesma etapa, em 2014. Agora, ganha a companhia da Voxx Racing

Com as vitórias de Marcos Gomes e Felipe Fraga na nona etapa da Stock Car, disputada neste domingo (13) em Campo Grande (MS), a Voxx Racing se igualou à Prati-Donaduzzi como as únicas a monopolizarem uma rodada dupla desde que o sistema foi implantado no ano passado. Até então, apenas Júlio Campos e Antonio Pizzonia - pilotos da equipe comandada pelo diretor-técnico Mico Lopez - haviam subido ao alto do pódio no mesmo dia – na etapa de Tarumã, em 2014. Enquanto Gomes continuou folgado na liderança do campeonato, Campos e Pizzonia fizeram um 9º e um 16º na abertura da programação e abandonaram a segunda corrida no Autódromo Orlando Moura.

Gomes saiu na pole e dominou facilmente a primeira bateria, sustentando com folga as raras investidas de Allam Khodair (Full Time), o segundo no grid. Fraga, no entanto, precisou trabalhar muito mais para chegar à frente na segunda. Ele travou um emocionante duelo com o pentacampeão Cacá Bueno (Red Bull), que havia partido na frente graças ao grid invertido em relação aos 10 melhores da prova inicial. Tomou a ponta quando restavam quatro voltas, mas chegou a perdê-la na última passagem. Na reta oposta, porém, reconquistou a posição para vencer pela primeira vez na temporada.

Campos e Pizzonia enfrentaram uma jornada complicada. O paranaense até liderou na segunda volta da segunda bateria, depois de compartilhar a primeira fila com Cacá. Aos poucos, contudo, foi perdendo terreno até desistir no momento em que ocupava a sexta colocação. "Meu carro estava com uma vibração horrível desde a largada. Nas retas, parecia até que os olhos iam saltar da cara", relatou, desolado com o desfecho de sua 100ª prova na categoria. A provável causa do abandono, que ainda seria confirmada pelos técnicos da equipe, foi a ruptura da homocinética.

Pizzonia também não sentirá saudades da passagem pela capital do Mato Grosso do Sul. O começo até promissor foi abortado depois de receber um toque de Diego Nunes (Vogel) que o levou a cair para a 23ª posição. "Mas nem sei se essa batida que levei seria tão determinante porque sofri demais com a perda de eficiência dos freios e a quebra da correia do alternador. Foi por causa desse problema elétrico que tive de parar na segunda corrida", explicou.

O Circuito Schin Stock Car entrará em recesso de um mês e voltará a ser movimentada dia 18 de outubro em Curitiba. A expectativa da Equipe Prati-Donaduzzi é reencontrar o caminho dos bons resultados numa pista que lhe tem sido altamente favorável em 2015. Foi lá que Campos venceu uma etapa e chegou em segundo em outra, resultados que contribuíram para a liderança que ocupou no meio do calendário.