Pilotos

Eurofarma comemora resultados em Londrina

Equipe lidera campeonato de equipes com boa vantagem. Daniel Serra mantém a liderança da competição

Apesar de toda movimentação na segunda corrida da Stock Car, em Londrina, o piloto da Eurofarma, Daniel Serra, ainda lidera a competição com 235 pontos. Um acidente envolvendo os dois adversários diretos à primeira posição, deixou tudo quase igual na tabela, ao menos para os primeiros colocados.

Logo no início da tarde, os termômetros marcavam 56 graus na pista, quando os comissários autorizaram a largada da primeira corrida da Stock Car. Thiago Camilo, estava na pole, com Daniel Serra em segundo, largando por fora. Max Wilson largou em nono lugar e Ricardo Maurício, em vigésimo segundo.                    

Além da atenção nos adversários, a equipe controlava junto aos pilotos, as condições dos pneus e freios, castigados pela alta temperatura da pista.

Com vinte minutos de prova completados, foi aberta a janela de pit stop. Para permanecer o menor tempo dentro do box, a equipe Eurofarma optou pelo abastecimento sem troca de pneus. Cada parada levou, em média, apenas 3 segundos. O resultado foi a volta de Daniel Serra ao segundo lugar, posição que havia perdido para Felipe Fraga logo na largada.

Ao final de 40 minutos de muita adrenalina, Daniel Serra fechou a prova em segundo lugar, somando mais 26 pontos à classificação geral.

Depois das comemorações, era hora de voltar para a segunda disputa do dia e a expectativa eram as condições do carro e dos pneus. Mas, um incidente mudou todo o cenário. Com grid invertido, os primeiros colocados ditavam o ritmo da largada. Um excesso de aceleração e frenagem criou o que os pilotos chamam de efeito sanfona, ocasionando um toque entre Max Wilson e Thiago Camilo. O carro #21 rodou e atingiu Ricardo Maurício e Daniel Serra. Era o fim de prova para o líder e para bicampeão. O carro de Max Wilson sofreu avarias e ele também teve que abandonar a prova. "Eu larguei e quando vi o carro do Thiago veio pra cima de mim", conta Serra. “A segunda corrida tem sempre a largada mais difícil porque os pilotos que estão na frente tem que administrar corretamente esse momento. Se há aceleração e desaceleração em excesso, esses problemas podem ocorrer”, explica Ricardo Maurício. “Na largada o Thiago tirou para a direita e eu avancei, nesse momento ele tentou voltar, ocasionando a colisão”, explica Max. A equipe entrou com reclamação formal e Thiago Camilo foi desclassificado e punido pelo acidente.

Enquanto isso, a Eurofarma lidera o campeonato com 235 pontos de Daniel Serra, Max Wilson é o sétimo com 156 e Ricardo Maurício em nono com 139.