Corrida 2: Barrichello, Khodair e Campos contam como foi o domingo

Os melhores da segunda corrida viveram altas emoções durante a prova

RUBENS BARRICHELLO #111 (Full Time Sports)

"Uma corrida mais do que doida, não dá pra acreditar que a gente teve a chance. Pra falar a verdade, a corrida não teria mesmo chance se o Thiago tivesse acabado a prova, porque ele estava absoluto. O meu carro começou a render melhor nas últimas dez voltas da segunda prova por eu ter trocado pneu. E tava um bolo ali, a gente começou a chegar nos retardatários, uma hora eu perguntei que lugar eu e estava eles me disseram: 'terceiro!' e eu pensei 'nossa, parece que eu sou o vigésimo, porque tem tanta gente na frente!’ e começou a embolar, eu tinha chance com o Allam, mas com aquele bolo todo ali era difícil e quando eu passei por um carro amarelo eu estava muito concentrado em acertar o push na hora exata pra eu passar o Allam e eu nem tinha certeza o Thiago. Então eles (equipe) chegaram pra mim no rádio e disseram que estava entre nós dois e o Allam também tinha push. Eu dei o push um pouco mais tarde na reta, porque eu não ia ter condições de passar ele lá e pensei que se eu saísse da zero rápido, quem sabe eu tenha condições, porque eu tava bem perto. E foi isso que me deu a vitória, porque ele falhou na linha de chegada e meu carro passou por um milésimo de segundo".

ALLAM KHODAIR #18 (FULL TIME SPORTS)

"Mais uma vez a corrida para mim foi um misto de emoções. Foi um final de semana complicado. Na classificação não consegui aproveitar o carro que eu tinha e acabei rodando. É sempre um risco iminente largar atrás, por que você acaba tomando alguns pancadas. Quebrou meu difusor extrator traseiro e a primeira corrida acabou sendo prejudicada por isso. Não troquei pneu e por isso achei que a segunda corrida seria muito difícil.
Fiz o meu máximo e estou orgulhoso disso. Mas ao mesmo tempo estou um pouco frustrado, pois a corrida estava ganha, e a poucos metros da linha de chegada o carro falhou. Na verdade eu não sabia nem que estava em primeiro, achei que o Thiago estava ganhando. Não tinha visto ele parando. Nunca tinha acontecido isso comigo". 

JULIO CAMPOS #4 (AXALTA C2 TEAM)

"Final de semana começou muito bom, mas acabei batendo antes da tomada de tempos. Não consegui fazer o treino direito e larguei em vigésimo. Na primeira corrida quebrou minha direção hidráulica, conseguimos arrumar e fomos para segunda bateria com tudo que tinha, fazendo tudo que podia. Um acidente no final com o Ricardinho. Um piloto que vinha por fora acabou fazendo uma trapalhada sem noção. O que fez com que o Ricardinho freasse no meio de curva e eu acabei acertando ele. Preferia chegar em quarto a fazer um pódio batendo em um companheiro e jogando um colega de trabalho no muro. Veio em boa hora, mas teve um sabor um pouco amargo esse pódio".