Coadjuvantes roubam a cena

Campos e Pizzonia: início complicado

Distantes da luta pelo título, dois coadjuvantes roubaram a cena e desbancaram os favoritos nos treinos livres da 11ª e penúltima etapa da Stock Car. O paulista Luciano Burti (Vogel), apenas o 20º na classificação geral, foi o mais rápido dos ensaios desta sexta-feira no circuito urbano montado nas ruas do Centro Administrativo da Bahia, em Salvador. O mineiro Rafa Mattos, vencedor de uma etapa em Santa Cruz, mas ocupando o 17º lugar no campeonato, apareceu a seguir.

O líder Rubens Barrichello (Full Time) terminou em 7º e viu o vice Thiago Camilo (RCM) bater forte e ficar ameaçado de nem participar das tomadas classificatórias da rodada dupla de amanhã - o qualifying começará às 8 horas, com os pilotos saindo em grupos de quatro para duas voltas lançadas de acordo com a ordem inversa da tabela de pontos. Camilo foi surpreendido pela rodada do Victor Genz (Boettger) e não pôde evitar o forte impacto contra a lateral do carro do gaúcho. Os pilotos escaparam ilesos, mas os danos materiais foram consideráveis.

A sexta-feira também não foi fácil para a Prati-Mico’s Racing, que vem de uma dobradinha inédita na categoria na recente etapa de Tarumã. Júlio Campos ficou em 14º, enquanto o companheiro Antonio Pizzonia fechou em 22º. Eles estão respectivamente em 5º e 6º no geral e sabem que a classificatória será fundamental para um bom resultado e a meta de reduzir a desvantagem em relação a Barrichello. Por causa das reduzidas dimensões do circuito, a troca obrigatória de pneus foi cancelada e o reabastecimento será realizado no grid no intervalo das duas baterias.

Campos ainda sofreu um problema adicional - o excesso de paralisações provocadas pelas bandeiras vermelhas, ocasionadas por choques leves ou rodadas. Com um jogo de pneus novos, só conseguiu entrar na pista quando restavam poucos minutos para o encerramento. "E ainda cometi um erro na minha melhor volta, mas também não daria para avançar tanto assim, talvez apenas uns dois décimos", analisou. Pizzonia ficou a exatos 999 milésimos de Burti. "O carro estava sem aderência alguma. Foi a mesma coisa em Tarumã, e lá conseguimos resolver o problema. Espero que este seja o caso aqui também."