Pilotos

Casagrande: voando baixo na Argentina

Stock Car volta a ter uma corrida internacional após um intervalo de dez anos. Piloto busca evolução na etapa em Buenos Aires

Há dez anos, a Stock Car disputava sua última corrida na Argentina. Era a época do boom da Stock Car e o campeonato fez ali um intercâmbio com os locais da TC2000 que traz muitas boas lembranças para quem viveu aquela época.

Em 2017, a Stock está de volta e bem diferente. Na parte do grid, os dinossauros da época já não correm mais e são os novatos daquele tempo que hoje são os dinossauros. Da nova safra, a maioria nunca competiu lá, só que eles não querem fazer feio. Sabe o que eles fizeram?

"Simulador, simulador, simulador e mais um pouco de simulador", comenta. "A parte da preparação física não precisa nada de diferente, mas a pista em si é novidade para nós. Será muito legal correr em uma pista das mais clássicas do mundo - que mudou muito pouco desde sua inauguração - e espero que os hermanos nos recebam bem", comenta Gabriel Casagrande, décimo no campeonato.

"Estamos bem, em uma evolução constante e a ideia é seguir assim voando baixo. Baixo, pois meu chefe de equipe Gualter Salles voou bem alto na última vez que estivemos lá!", completa o piloto, relembrando o acidente mais espetacular da história da Stock Car sofrido pelo ex-piloto de Indy em 2006 e, que, por sorte, só acarretou danos ao equipamento.

“Foi a mão de Deus que me salvou. É algo que, mesmo quando eu estiver com 70 anos de idade, nunca vou esquecer. No acidente, em si, eu não penso; apenas às vezes, quando alguém toca no assunto. É apenas mais uma corrida, mas logicamente quando voltar lá, as lembranças vão voltar a cabeça, mas eu vou tentar não pensar nisso”, relembra Gualtinho.

Tanto Gualter quanto Casagrande pretendem escrever uma nova página dessa história, de preferência com muitos pontos e um novo pódio. As duas provas estão marcadas para acontecer às 14h e 15h10, com transmissão ao vivo do SporTV3.