Campos completa 100 corridas em Campo Grande

Paranaense busca reação e volta ao Top 3 no regresso ao Mato Grosso do Sul

Júlio Campos se tornará neste fim de semana o mais novo membro dos pilotos centenários do Circuito Schin Stock Car. O paranaense da equipe Prati-Donaduzzi completará a marca de 100 corridas na principal série do automobilismo brasileiro no complemento da rodada dupla - 9ª etapa -, programada para domingo no retorno da categoria ao autódromo de Campo Grande depois de quatro anos. "Fico feliz de fazer parte da história do maior campeonato do nosso país", comemora Campos, que ocupa a 4ª colocação na classificação geral e precisa de um bom resultado para voltar ao Top 3.

Campos estreou em Interlagos na abertura da temporada de 2006. A primeira participação, no entanto, não durou muito com o carro número 72 da Equipe RS. Foram apenas quatro voltas antes que uma quebra da suspensão provocasse uma batida no final da reta. "Larguei bem atrás, mas já foi uma vitória conseguir uma vaga na prova porque naquela época havia um limite de carros no grid", lembra. "Fiz apenas duas corridas nesse ano, mas tinha certeza que estava entrando para ficar por muito tempo. Tomara que eu ainda possa chegar às 200 ou 300 provas."

Desde 2013 defendendo a equipe comandada pelo diretor-técnico Juan Carlos "Mico" Lopez, Campos tem sólidas chances de realizar sua melhor campanha na Stock Car e superar o 8º lugar de 2012 e 2014. Ele chegou a liderar depois da conquista da segunda vitória na Stock Car no início de maio (a primeira veio em Tarumã no ano passado), mas duas etapas em branco - Santa Cruz do Sul e Cascavel - causaram enorme prejuízo. "Tivemos alguns problemas com o acerto e a quebra do motor, mas espero que tudo esteja solucionado para Campo Grande. Vamos esperar o início dos treinos para ter um quadro mais real."

Campos diz que o crescimento registrado nos últimos tempos - cravou três poles desde 2013 - faz parte de um aprendizado contínuo e da estabilidade alcançada desde que a Prati-Donaduzzi, fabricante de medicamentos estabelecida em Toledo (PR), passou a apoiar a equipe dirigida por "Mico" Lopez. "Os investimentos aumentaram e a continuidade de pilotos e técnicos também contribuiu para essa evolução. Hoje, brigamos de igual para igual com qualquer equipe", observa.

A vitória em Curitiba merece lugar de destaque nas memórias de Campos. Foi a primeira na Stock Car de um local no autódromo da capital paranaense e, como cereja no bolo, o elevou na época à ponta da tabela de pontos. "Essa é a melhor lembrança deste tempo, embora as poles e a vitória em Tarumã, onde a equipe se tornou a única até agora a vencer as duas provas do mesmo dia, também tenham sido inesquecíveis", continua. Do lado oposto, as tragédias que viveu de perto, nas séries de acesso à Stock Car, permanecem igualmente vivas. "As mortes de amigos como Rafael Sperafico e Gustavo Sondermann foram os piores momentos, sem dúvida."

Tags: