C2 prejudicada por fila indiana

Corrida tem menos ultrapassagens

A largada em fila indiana na oitava etapa do Velopark cumpriu a expectativa de evitar acidentes na famosa "curva do strike", já que nas duas últimas passagens da Stock Car pela pista gaúcha, muitos acidentes aconteceram. O procedimento, entretanto, diminuiu bastante a chance de os pilotos tentarem escalar o pelotão e ganhar muitas posições. E entre os prejudicados estão os pilotos da equipe C2: Gabriel Casagrande e Diego Nunes.

Nunes, que saiu em 23º, apostava em um boa largada e nos 20 acionamentos do botão de ultrapassagem para ganhar posições. Quase conseguiu. Acabou cruzando a linha em 15º, quatro posições abaixo da meta que traçou como ideal.

"A largada em fila indiana nos prejudicou muito. Largamos muito longe dos primeiros. Ganhamos muitas posições, mas em uma situação normal chegaríamos entre os dez primeiros e assim teríamos chance de brigar para vencer a segunda", disse o piloto que fechou a rodada com a 14ª colocação na segunda prova.

Gabriel Casagrande, que largou em 15º, teve um bom desempenho em sua primeira corrida na apertada pista do Velopark. O piloto paranaense fez duas provas consistentes, escapou de incidentes e cruzou a linha em 16º na primeira prova e 17º na segunda. O jovem estreante, entretanto, queria mais.

"Definitivamente não foi o melhor final de semana para nós, os tempos muito próximos, esta pista é pequena e qualquer erro pode comprometer. Lá atrás, tem muita pancadaria, e eu acabei tendo problema de câmbio e não conseguia otimizar nenhuma das minhas freadas", lamentou.

A próxima etapa da Stock Car 2014 está marcada para o dia 28 de setembro, em Santa Cruz do Sul.