C2 em 2015

Terá Casagrande e Jimenez

Equipe estreante na Stock Car, a C2 encerrou neste domingo a sua primeira temporada na maior categoria do automobilismo brasileiro. O time fechou o ano com boas lições e um time estruturado e preparado para os desafios de 2015. A corrida final realizada em Curitiba, entretanto, foi marcada por grandes dificuldades.

O jovem Gabriel Casagrande, que fez sua primeira temporada completa, enfrentou problemas na bomba de combustível e abandonou na décima segunda volta. "Umas duas voltas antes do pit stop comecei a ter problema com a bomba de combustível, vim me arrastando, mas não tinha mais potencia no motor. Estávamos em décimo terceiro quando paramos, pois largamos no pelotão de trás. Com o grande número de batidas e tendo largado lá atrás, o fato de não termos nos envolvido em nenhum acidente já foi muito bom. Iríamos conseguir alguns pontos, mas infelizmente não deu", disse Casagrande.

Em relação ao seu primeiro ano na Stock Car, Casagrande lembrou de todo o aprendizado e das grandes lições que ficaram para a próxima temporada. "Foi um ano muito bom de aprendizado do início ao fim. Só temos que agradecer todo mundo que torceu, que me apoiou esse ano, o trabalho de equipe, ao companherismo do Diego (Nunes). Desejo muita sorte pra ele na nova equipe e as portas da C2 estarão sempre abertas para ele", concluiu.

Dono do carro #70, Diego Nunes, encerrou sua temporada na C2 na décima segunda colocação. "Nosso carro estava muito bom. Eu era o quarto ou quinto mais rápido na pista, mas infelizmente largamos muito atrás, e não deu para fazer muita coisa. Perdemos 4 segundos no pit, era pra terminar entre os dez na corrida", analisou o piloto.

Nunes também fez questão de agradecer a temporada ao time paranaense, no qual se despediu na corrida. "Foi muito bom o nosso começo de temporada, depois tivemos algumas dificuldades, e agora por último o carro deu uma acendida na corrida. Acho que para o primeiro ano da equipe foi muito bom, tiveram momentos de estar andando entre os três primeiros, coisa que é muito dificil de fazer. Só tenho a agradecer a confiança e a toda a equipe, que sempre trabalhou muito forte para buscarmos nosso objetivo", disse Nunes.

Chefe da equipe C2, o engenheiro Guilherme Ferro lamentou as dificuldades dessa etapa, mas se disse satisfeito com o primeiro ano da equipe, que além da Stock Car, também, disputou o Brasileiro de Marcas.

"Essa etapa especialmente foi uma das mais difíceis para nós. Uma série de coisas que não se encaixaram. Ano que vem a gente vai colocar em pratica todo esse banco de dados que a gente adquiriu e, certamente, estaremos mais preparados e focados para continuar evoluindo", enfocou.

A Stock Car volta a pista no dia 08 de fevereiro, também em Curitiba, para a pré-temporada 2015. Para a próxima temporada a C2 terá Gabriel Casagrande e Sérgio Jimenez.