Barrichello e Marcos Gomes tinham estratégias diferentes

Piloto que venceu a prova longa pensava em pontuar também na curta; já o ganhador da Corrida 2 atribui vitória à equipe

Quando desceu do pódio como vencedor da corrida longa da etapa de Cascavel, Rubens Barrichello tinha planos de tentar ganhar também a corrida curta. Afinal, além dos 24 conquistados, havia mais 15 pontos em disputa e isso poderia significar a liderança do campeonato.

Porém, mal a segunda prova começou, seus planos foram por água abaixo. Barrichello foi tocado pelo seu companheiro de equipe, Allam Khodair, e precisou fazer uma corrida de recuperação, garantindo apenas o 19º lugar. “Pensei em quebrar recorde de pontos da rodada dupla, mas quando a gente larga lá atrás é como se estivesse em um ringue de UFC, com todo mundo pronto para bater”, diz o competidor do carro # 111.

Já Marcos Gomes, que venceu a corrida curta, afirma que a estratégia da equipe foi fundamental. “Primeiro, ficamos até às dez da noite de sábado estudando a telemetria do carro, para melhorá-lo. Depois, apostamos em uma estratégia de buscar o maior número de pontos, independentemente da vitória. Mas ganhar essa prova veio na hora certa, principalmente depois de duas etapas ruins em Goiânia”, resume.