Artistas brasileiros que pintaram quadros durante as etapas da Stock Car terão suas obras doadas

Pintores com a Boca e os pés encerram ação solidária e obras serão entregues para o Instituto Ingo Hoffmann

A última etapa do Circuito Schin Stock Car, que acontece no dia 10 de dezembro em Interlagos, encerra também uma ação solidária realizada pela Eurofarma-RC durante toda a temporada 2015 da principal categoria do automobilismo brasileiro. Durante o ano, foram convidados artistas plásticos consagrados para o desafio de pintarem obras em pleno box em meio ao ronco dos motores e movimentação da equipe. O resultado será um acervo belíssimo com 12 obras que serão doadas para o Instituto Ingo Hoffmann, instituição sem fins lucrativos presidida pelo maior piloto da história da Stock Car e que cuida de crianças em tratamento contra o câncer.

O trabalho começou durante a criação do novo layout dos bólidos da equipe para a temporada. Buscando disseminar a arte através do automobilismo, a Eurofarma-RC decidiu transformar os carros em telas em movimento e foi buscar inspiração entre os artistas plásticos contemporâneos. A iniciativa resultou numa parceria inédita com o artista plástico Sérgio Maciel, mais conhecido com Led´s, um dos primeiros tatuadores do Brasil. Debruçado sobre os sólidos geométricos do gênio holandês Cornelis Escher, Led´scriou o novo desenho que foi finalizado em computação gráfica pela designer Lúcia Motta. A partir daí, começaram as pinturas em quase todas as etapas por onde a categoria passou durante o ano.

Na quinta-feira, a partir das 14 horas, todas as obras estarão expostas no box da equipe e serão entregues ao piloto Ingo Hoffmann. Antes, porém, dois consagrados artistas da Associação dos Pintores com a Boca e os Pés, farão o encerramento da ação ao pintarem as duas últimas obras do acervo. Ambos sofrem de paralisia e usam a boca como instrumento para executarem as tarefas. Daniel Ferreira das Silva tem apenas 25 anos e pinta desde os 6 anos de idade. Incentivado pelos pais e pela tia Socorro, venceu as dificuldades, pratica natação, conquistou sua carteira de habilitação, é pintor e palestrante. "Me entrego às minhas obras, às vezes pinto o dia todo até a madrugada do dia seguinte. Não há limites para quem sonha e participar desse evento é mais uma grande conquista", diz ele.

Também estará presente a artista Fernanda Alonso, que em outubro, durante a etapa de Curitiba foi uma das convidadas para o desafio. Quase homônima de piloto famoso, ela conduz além da carreira, o tratamento contra o diagnóstico de câncer de mama. Outros grandes pintores aceitaram o convite e fizeram desse trabalho um dos mais grandiosos movimentos artísticos dentro da Stock Car. Essa foi a primeira vez que a arte ao vivo misturou-se ao ritual de treinos, ferramentas, pneus e cheiro de gasolina, levando cores e leveza através de obras incríveis.

O primeiro a aceitar o convite foi o goiano Luiz Olinto, na primeira etapa realizada em Goiânia, no dia 22 de março. Conhecido pela sua técnica que reúne impressão com interferência de tinta, usou o grafitismo para compor a obra inspirada em carros de corrida. Depois vieram Roberto Mucciollo, nascido em Porto Alegre. Estudou na Europa e é um dos maiores representantes da arte usando a velocidade como tema central das criações.

Já o curitibano Rogério Dias, pintou suas famosas aves, que deram a ele inúmeros prêmios e um livro intitulado Ave, Rogério!. Ele tem obras em galerias na Bulgária, França, República Dominicana, Trinidad e Tobago, Praga, entre outras. Em 2010, foi um cinco brasileiros selecionados pela FIFA para criar peças exclusivas para Copa do Mundo da África do Sul.
A primeira mulher a integrar o grupo de Artistas do Bem foi a sulista Virgínia Heitling, que contou em sua tela a história do autódromo de Santa Cruz do Sul através de recortes de jornal com interferência de tinta, sua marca registrada. Com 20 anos dedicados à pintura, ela participou de inúmeras mostras nacionais e internacionais e acumula inúmeros prêmios, com destaque para o Marina Art Constest, que ganhou em Dubai, nos Emirados Árabes.

De volta a Goiânia para a Corrida do Milhão, outra mulher de destaque engrossou a lista dos artistas do bem, Vanyr Carla, poetisa e escritora , é Delegada Cultural da CONBLA (Confederação Brasileira de Letras e Artes) por Goiás, Comendadora pela ALG (Academia de Letras de Goiás) e Membro Acadêmico da Académie Du Mérite et Dévouement Français, entre outros.
Fortemente inspirado por Van Gogh, Felipe Monclaro, de Porto Alegre, criou a peça A Bela Vaidosa, usando óleo sobre tela. Considerado um dos grandes expoentes da nova geração de pintores, destaca-se também pela entrega à arte.

No Paraná, mais uma mulher multitalentos integrou o grupo, Vera Simon, uma grande admiradora da força das mulheres e que usa esse fascínio como tema central das suas obras.
Em Curitiba, Sandra Hiromoto também participou do desafio e usou todo o conhecimento adquirido através de intercâmbio artístico com o Japão para compor sua obra com tsurus, pássaro símbolo da sorte, além de outros elementos gráficos. Com carreira internacional, é detentora de inúmeros prêmios como PrixSpécial 2011 - Membre de La délégacion du Brésil - Salon Du Carrousel Du Louvre, Paris, Medalha de Bronze - Société Académique Arts Sciences Lettres - Paris - França em 2011 e 3º Lugar - I Biennale d’Art Contemporain Brésilian - Paris - França. Suas exposições já passaram pelos Estados Unidos, Bélgica, México, Colômbia, Peru, Japão, Espanha, Cuba, além das capitais brasileiras.

A exposição das obras e a entrega para o piloto Ingo Hoffmann está marcado para quinta-feira, dia 10 de dezembro, a partir das 14 horas, no autódromo de Interlagos.