Pilotos

Após 22 anos, Max Wilson volta a Buenos Aires

Piloto da RCM Competições reencontra na capital argentina circuito de sua primeira vitória internacional

A Stock Car volta a Buenos Aires após 11 anos. Se o fim de semana no Autódromo Oscar Alfredo Gálvez será ótimas de lembranças para a categoria, o mesmo acontece com Max Wilson. O piloto da equipe Eurofarma RC volta à capital argentina depois de 22 anos e vê a cidade portenha como o ponto de partida para sua carreira internacional.

Era 1995, quando Max Wilson vencia uma corrida da Fórmula 3 Sul-Americana, que naquele final de semana foi a preliminar do GP de Fórmula 1 da Argentina. O triunfo naquela que era sua segunda disputa na Fórmula 3, fez com que sua carreira tomasse um novo rumo.

“Foi uma corrida extremamente importante para mim e para a minha carreira. Após aquela vitória, fui apresentado ao Willi Weber, que foi empresário do Michael Schumacher. E ele me convidou para um teste na Fórmula 3 Alemã. Em consequência daquele triunfo e do teste, ingressei na Fórmula 3 Alemã a partir de 1996 e iniciei minha carreira na Europa”, relembra Max, que nos anos seguintes à Fórmula 3 Alemã, passou a ser piloto de testes da Williams, na Fórmula 1.

Ainda em 1995, ele voltou a Buenos Aires para outras duas provas na Fórmula 3 Sul-Americana. E novamente, teve resultados expressivos em terras argentinas – mais uma vitória e um terceiro lugar.

E após 22 anos, Max Wilson fará sua estreia em Buenos Aires com a Stock Car. O desafio agora é reconhecer as novas configurações da pista e resgatar o bom desempenho que a capital argentina lhe trouxe.

“Esse autódromo tem uma particularidade. Ele tem várias configurações. E a configuração do autódromo deste final de semana é totalmente diferente da que pilotei. É como se eu não conhecesse esse autódromo. Mas, sem dúvidas, tenho excelentes momentos aqui, que espero trazê-los à tona nesta minha estreia com a Stock Car na Argentina”, destaca.

Max Wilson chega à Argentina na sétima colocação da classificação da temporada, com 156 pontos. Daniel Serra lidera a disputa, com 235 pontos. Ele é seguido por Thiago Camilo (222 pontos), Átila Abreu (190), Felipe Fraga (174), Cacá Bueno (166) e Rubens Barrichello (164).